Herói com luvas, Felipe Melo recebe elogios até de Taffarel: ‘Sai que é sua!’

Treinador de goleiros do Galatasaray repete frase eternizada na Copa de 1994. ‘Fingi que ia para um lado e caí para o outro’, diz o ‘novo’ camisa 1

Felipe Melo e Taffarel comemoram na partida do Galatasaray (Foto: Reprodução / Instagram)Felipe Melo e Taffarel comemoram juntos a vitória
do Galatasaray (Foto: Reprodução / Instagram)

É uma daquelas coincidências sensacionais que o destino prega. Quando Fernando Muslera foi expulso por cometer um pênalti aos 45 minutos do segundo tempo, Felipe Melo encaminhou-se praticamente de imediato até o uruguaio para pegar suas luvas. A poucos metros dali estava Claudio Taffarel, preparador de goleiros do Galatasaray e ídolo de cada brasileiro em especial nas Copas do Mundo de 1994 e 1998. O volante superou as três substituições já realizadas e incorporou o espírito do antigo camisa 1 para defender a cobrança de Türkdogan. A vitória de seu time sobre o Elazigspor, por 1 a 0, estava garantida. E o líder do Campeonato Turco teve um herói às avessas.

– O Taffarel mesmo brincou e falou “sai que é sua, Felipe Melo!”. Quando acabou o jogo ele correu em minha direção e me abraçou. Não falou nada antes porque não tinha muito o que falar. Não dá para escolher esquerda, direita. Mas confesso que me ajudou bastante depois do pênalti. Houve uma falta na entrada da área e eu não sabia quantos homens na barreira eu colocava. Ele soube que iriam cruzar e me aconselhou a pedir um só. É um cara que ganhou tudo. Depois de pegar o pênalti é que não iria tomar o gol, não é? – disse em entrevista ao GLOBOESPORTE.COM o “Pitbull”, como é conhecido pela torcida, antes mesmo de a bola sair pela lateral.

Felipe não teve problemas em admitir que adiantou-se alguns centímetros antes de pular para o lado direito. Talvez por ser praticamente uma novidade ao longo de sua carreira – ele já viveu a mesma experiência em 2006, quando Ronaldinho converteu a cobrança pelo Barcelona contra o Racing Santander. Ou pelo momento de heroísmo.

– É igual quando se faz um golaço de bicicleta irregular. O juiz tem que passar a mão na cabeça (risos). Eu não tenho cacoete de goleiro para ficar parado. Só me dei conta que caminhei depois que vi o vídeo. Tenho na cabeça eu olhando nos olhos do atacante, estava muito confiante mesmo. O problema é que o gol ficou gigante, não sabia para qual lado ir. A sorte é que ele bateu mais ou menos como eu, olhando para o goleiro até o último momento. Fingi que ia para um lado e caí para o outro. Saber que vai pegar o pênalti é uma sensação muito gostosa. Só tive que fazer a bola sair pela lateral – contou o camisa 10, idolatrado até mesmo numa partida fora de casa.

– Acabou o jogo e todos vieram me abraçar. O mais legal é que sempre disse que queria me tornar um ídolo nacional. E ontem (sábado) fui aplaudido pela torcida adversária. Estou muito contente pela atuação, pela liderança e por poder ajudar. A história acabou sendo feita – completou.

Felipe Melo defende pênalti pelo Galatasaray (Foto: Divulgação / Site Oficial do Galatasaray)Felipe Melo caiu no canto certo e defendeu a cobrança nos minutos finais (Foto: Site Oficial do Galatasaray)

Pênalti perdido vira passado

Na memória recente de Felipe, no entanto, pênalti era um pequeno incômodo. Se marcou dez gols dos últimos 11 pelas suas contas, a cobrança errada contra o Cluj, pela Liga dos Campeões, custou a classificação antecipada no Grupo H – o Galatasaray ainda tem a vantagem na última rodada, no próximo dia 5 de dezembro.

Felipe Melo defende pênalti pelo Galatasaray (Foto: Divulgação / Site Oficial do Galatasaray)Comemoração do ‘Pitbull’ começou antes mesmo
de a bola sair (Foto: Site Oficial do Galatasaray)

– Até então não tinha perdido. Contra o Cluj o campo estava horrível, tive de mudar meu jeito de bater. Meu pé afundou numa poça d’água na hora e acabei chutando à meia-altura. Mas o Messi perde, o Zico já perdeu. Se eu continuar nessa minha média está ótimo.

Se na Champions as aspirações do Galatasaray passam por alcançar o mata-mata, no Turco a meta de se tornar o bicampeão segue viva. A defesa de Felipe ajudou diretamente o Galatasaray a permanecer na liderança do Turco após 13 rodadas, com 25 pontos, dois a mais que o vice-líder Antalyaspor.

– Jogamos bem durante todo o segundo tempo, merecíamos um resultado mínimo de 5 a 0. Mas eu estava desconfiado, algo iria acontecer. É aquela: quem não faz leva. O pênalti saiu numa jogada isolada, tivemos dois pênaltis a favor que o árbitro não deu. O Besiktas tinha vencido, o Fenerbahçe pode vencer no domingo. Ou seja: a liderança estava ameaçada. Foi bom porque tornou a importância da defesa ainda maior (risos) – encerrou.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s