O homem que teria vivido 256 anos

Segundo os obituários da Time Magazine e do New York Times, Li Ching-Yun teve 23 esposas, 180 descendentes e morreu com a incrível idade de 256 anos.

Mas ele realmente morreu tão velho, ou alguém errou sua data de nascimento ou é tudo mais um farsa? veremos o que se pode descobrir.

 

Os segredos para uma vida longa

Manter o coração calmo, ter a calma de uma tartaruga, andar alegre como um pombo e dormir como um cão.” Estas foram as palavras de um conselho que Li deu Wu Pei-fu.

Li afirmou que a calma interior e paz de espírito foram os segredos para a longevidade incrível. Sua dieta afinal, era baseado principalmente em arroz e vinho.

 

De 0 a 256

Até hoje não se sabe muito sobre a vida de Li Ching-Yun”s. Sabemos que ele nasceu na província de Sichuan na China, onde também morreu. Sabemos também que, pelo seu décimo aniversário, Ching-Yun era alfabetizado e tinha viajado para Kansu, Shanxi, no Tibete, Annam, Siam e Manchúria. Depois disso, tudo fica um pouco confuso.

Aparentemente, há mais de cem anos, Li vendia suas próprias ervas e plantas aromáticas, que eram recolhidas por outras pessoas. Sabia-se também que ele tinha seis polegadas de unhas em sua mão direita.

Você ainda não deve estar acreditando que uma pessoa possa ter vivido tanto tempo. Bom, vamos ver o que os relatos falam.

 

As nove vidas de Li Ching-Yun

Por sua própria admissão, ele nasceu em 1736 e viveu 197 anos. No entanto, em 1930, um professor e reitor da Universidade de Minkuo chamado de Wu Chung-chien, encontrou registros que “provam” que Li nasceu em 1677. Documentos revelaram que o Governo Imperial Chinês felicitou-o pela seus aniversários 150 e 200.

Então a questão é: Ele se esqueceu do seu próprio aniversário?

Também há contando a favor de Li um livro chamado “Ancient Secrets of Youth” de Peter Kelder que registra a história de Li Ching Yuen contada por um de seus discípulos, o Mestre de Tai Chi Chuan Da Liu. Ele conta que com 130 anos o Mestre Li encontrou nas montanhas um eremita de idade ainda maior que lhe ensinou o Pa-Kua e um conjunto de práticas de Chi Kung, que incluíam treinamentos de respiração, movimentos coordenados com sons, e recomendações sobre a alimentação e o uso de ervas medicinais. Segundo Da Liu seu mestre dizia que sua longevidade “é devida ao fato que realizei estes exercícios a cada dia, regularmente, corretamente, e com sinceridade por 120 anos.”

Olhando para tudo isso a partir de uma perspectiva médica e documentado: Jeanne Louise Calment, uma mulher francesa que morreu em 1997 até agora detém o título de a pessoa que viveu por mais tempo: 122 anos, que é um período de tempo fenomenal.

Isso significa que, se os registros descoberto por Wu Chung-chien foram precisos, Li Ching-Yun idade seria superar o recorde oficial em de 130 anos. É isso mesmo possível?

Infelizmente, nunca saberemos. A não ser que se aceitem os documentos do governo Chinês como irrefutáveis provas da longevidade de Li, coisa que não foi aceita até hoje pelo mundo ocidental. Mas você pode tirar suas próprias conclusões.

Adaptado de environmentalgraffiti

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s