Maus tratos » Mobilização em prol de cachorro encontrado em sacola em Boa Viagem ganha adeptos

Encontrado na última sexta-feira (7) dentro de uma sacola plástica em Boa Viagem, Zona Sul do Recife, o cachorro Boy segue internado na clínica Animania, na Torre, com ajuda de mais de dez “amigos”. A mobilização nas redes sociais intitulada SOS BOY – abandonado dentro de uma sacola na rua vem recebendo doações para o animal, que está machucado, mas se recupera bem, de acordo com o médico veterinário Gustavo Campos.

Segundo a integrante do Movimento de Defesa Animal (MDA), Goretti Queiroz, Boy passou por um exame de sangue e está tendo seus curativos trocados diariamente. “Pessoas já entraram em contato para doar cama, remédios e contribuir para o pagamento da clínica, mas ele ainda vai precisar de vacinas e ração”, explicou. Após a alta, o cãozinho irá para um lar adotivo, ainda não definido.

Para ela, porém, o mais importante é que o mal feitor seja denunciado o mais breve possível. “Seria interessante se as pessoas que moram próximo ao canal de Setúbal tentassem identificar o dono do animal, para que possamos entrar com uma ação por maus tratos”, sugeriu. A denúncia deve ser feita na Delegacia de Polícia do Meio Ambiente (Depoma), através dos telefones (81) 3184-7119/7120/7121.

Quem quiser ajudar Boy, a conta é do Banco do Brasil. Agência: 0721-8. Conta corrente: 13826-6. CPF: 232.729.964-00.

Fonte:www.diariodepernambuco.com.br

Anúncios

Glória Perez reage a entrevista dada por Guilherme de Pádua em emissora

Correio Braziliense

Publicação: 10/12/2012 15:28 Atualização:

Reprodução/Record/TV Clube
Reprodução/Record/TV Clube

Vinte anos após a morte da filha, a novelista Glória Perez mantém a mágoa e revolta contra Guilherme de Pádua, condenado pelo assassinato de Daniela Perez em 1992. Após assistir à entrevista do ator, exibida no programa Domingo Espetacular, da Rede Record, no domingo, a novelista desabafou no Twitter e chamou Pádua de “vagabundo”. “O assassino abraçou Raul dizendo: força cara, eu estou aqui #nojo”, tuitou.

Glória postou uma foto da filha argumentando que antes do crime, Daniela levou um soco no rosto. “Quem quiser saber porque esse michê vagabundo foi condenado, aqui está o processo”, escreveu, disponibilizando um link para um site pessoal, que ficou fora do ar logo depois.

Glória falou também sobre o que considera ser a motivação do crime. “Esse FDP pq estava sendo reduzido na novela vingou-se: emboscou Daniela, desacordou com um soco, deu 18 estocadas e foi abraçar nossa família”, postou a escritora. Na entrevista, Guilherme assumiu que participou do crime, mas afirmou que os golpes de tesoura que ocasionaram a morte de Daniella foram dados por Paula Thomaz, então mulher dele.

Glória se revoltou com o suposto arrependimento de Pádua demonstrado na entrevista e não mediu palavras para expressar os sentimentos.

Na entrevista, o jornalista Marcelo Rezende perguntou o que Guilherme falaria para Glória Perez. “É tanta coisa, não sei, não sei. Eu pediria perdão só. Não tem como fazer nada por ela, eu não tenho esse poder. Eu sou a pessoa que fez mal a ela”, respondeu o ator.

Jovem que ofendeu nordestinos no Twitter é condenada

Você se lembra da polêmica estudante que ofendeu os nordestinos no Twitter?

mayarapetruso

Depois da atitude ousada, Mayara Petruso, foi condenada a 1 ano, 5 meses e 15 dias de reclusão por mensagem preconceituosa e também incitação à violência contra nordestinos.

Mas como para quase tudo da-se um jeitinho, a pena foi convertida em multa e prestação de serviços comunitário.

A estudante assumiu a culpa pela mensagem publicada:

mayarapetruso (1)

Em sua defesa, ela falou que foi motivada pelo resultado das eleições de 2010. O seu candidato, José Serra, teria perdido nas urnas devido à expressiva votação dos nordestinos.

Mayara afirmou ainda “não ter a intenção de ofender”, principalmente por não ser uma pessoa preconceituosa. A garota não esperava tanta repercussão para o seu desabafo e se declarou arrependida.

Não é de hoje que a mídia tem ajudado a resolver casos judiciais. É o poder da nação, que com a internet está cada vez mais unida!

E você o que acha da condenação? Acredita que a web pode continuar contribuindo na “solução” de crimes?

Fonte:Minilua

A primeira contribuição de Oscar Niemeyer no Nordeste

Projeto do Estádio Presidente Médici, do Sport, em 1971. Foto: Arquivo/Diario de Pernambuco

Faleceu aos 104 anos o arquiteto mais famoso do país, Oscar Niemeyer.

São inúmeros os projetos com a sua assinatura, como o Conjunto Pampulha, em Belo Horizonte, a cidade de Brasília, a Passarela do Samba, no Rio de Janeiro, o Museu de Arte Contemporânea, em Niterói, e o Memorial da América Latina, em São Paulo. Entre outras centenas de traços conceituados, ou curvas, como gostava.

O Nordeste também entrou na rota criativa de Niemeyer. No Recife, a história.

Uma obra inacreditável, apontada como a “mais bela praça de desportos do mundo”, segundo o Diario de Pernambuco há 41 anos. Era a primeira vez que Oscar Niemeyer apresentava um projeto para a região. Em um ensaio de megalomania futebolística, o segundo maior estádio do mundo, inferior apenas ao Maracanã. Seriam 140 mil lugares.

Era esse o audacioso projeto do Sport, lançado oficialmente em 6 de agosto de 1971.

O estádio Presidente Médici – cujo nome foi autorizado pelo então presidente da República, general Emílio Garrastazu Médici – ficaria na Joana Bezerra, a menos de um quilômetro da Ilha do Retiro. O palco seria coberto, dividido por quatro setores: arquibancada (90 mil lugares); popular (25 mil); cadeiras (24 mil) e camarotes (1 mil).

O complexo seria construído pela Hofmann Bosworth Eng. S/A, com previsão de 36 meses. Além do estádio, um estacionamento para cinco mil carros.

O fato de o Arruda, em seus primeiros módulos, ter sido escolhido pelo governo do estado para a ser a sede local em 1972 na Copa da Independência do Brasil, com 20 países, recebendo todo o investimento, acabou atrapalhando o sonho rubro-negro.

O projeto parou na maquete e na terraplanagem. O motivo? Dívidas. O próprio terreno, cedido ao Leão pela família Brennand, foi utilizado em 1974 para amortizar os débitos.

Em 1971, Santa Cruz e Náutico também lançaram projetos. Confira aqui e aqui.

Projeto do Estádio Presidente Médici, do Sport, em 1971. Foto: Arquivo/Diario de Pernambuco

Fonte:http://blogs.diariodepernambuco.com.br

100 ANOS DE LUIZ GONZAGA – O REI DO BAIÃO


CRONOLOGIA DA VIDA DE LUIZ GONZAGA
1912
Dia 13 de dezembro, sexta-feira. Nasce LUIZ GONZAGA DO NASCIMENTO, na Fazenda Caiçara, em Exu, situada junto a Serra do Araripe, Pernambuco. Segundo dos nove filhos do casal Januário José dos Santos, o Mestre Januário, sanfoneiro de 8 baixos afamado na região, e Ana Batista de Jesus, conhecida por Santana.

1920
O filho do Mestre Januário recebe seu primeiro cachê ao tocar substituindo o sanfoneiro em festa tradicional na fazenda: 20$000 (vinte mil réis). Ainda adolescente, torna-se conhecido em boa parte das regiões vizinhas.

1926
Aos treze anos, Luiz Gonzaga compra sua primeira sanfona, na cidade de Ouricuri, graças ao empréstimo concedido pelo coronel Manoel Ayres de Alencar: um 8 Baixos, Koch, marca veado, igual ao do Mestre Januário, ao preço de 120 mil réis. Quando saldou sua dívida, anunciou ao coronel Ayres que não iria mais trabalhar com ele, pois a partir de então, seria sanfoneiro profissional.

1929
Participa de um grupo de escoteiros e conhece Nazarena, por quem se apaixona e com quem namora às escondidas. Rejeitado pelo pai da moça, de família importante, aproveita o dia da feira e vai tirar satisfações da desfeita armado com uma faquinha, após uns goles de cana. Leva uma surra de Santana e foge de casa para o Crato, no Ceará, onde vende sua sanfoninha de 8 baixos.

1930
Luiz Gonzaga aumenta sua idade para sentar praça no Exército, na cidade de Fortaleza. Com o advento da Revolução de 30 segue em missão militar pelo Brasil como soldado Nascimento. Mestre Januário consegue reaver a sanfona vendida no Crato por 80 mil réis, através de um amigo, o Sr. José Lindolfo.

1931
Após o término do tempo legal de serviço militar, o soldado Nascimento escolhe continuar servindo no Exército, instituição que representou o papel de uma grande e importante escola. Nas horas vagas acompanhava, pelos programas de rádio, os sucessos musicais da época.

1933
Por não conhecer a escala musical, é reprovado num concurso para músico numa unidade do exército, em Minas Gerais. Vira tambor-corneteiro e ganha o apelido de “bico de aço”.

1936
Gonzaga aprende a tocar sanfona de 120 baixos em Minas Gerais, com um soldado de polícia chamado Domingos Ambrósio. Para treinar, adquire uma sanfona de 48 baixos e aproveita as folgas da caserna para tocar em festas.

1938
Gonzaga é ludibriado por um caixeiro-viajante, a quem paga 500 mil réis em prestações mensais para adquirir uma sanfona branca, Honner, de 80 baixos. Foge do quartel, em Ouro Fino (MG), para ir buscar a sanfona em São Paulo. Lá chegando, descobre que não vendiam sanfona no endereço que o caixeiro lhe dera. Ao retornar ao hotel onde se hospedara, acaba comprando uma sanfona igualzinha à que tinha ido buscar, pelo valor das prestações que faltavam pagar, 700 mil réis, e que ele havia arrecadado com a venda da sanfona de 48 baixos.

1939
Luiz Gonzaga dá baixa das Forças Armadas, impulsionado por um decreto que proibia para os soldados um engajamento superior a dez anos no Exército. Desembarca no Rio com bilhetes comprados para Recife, de navio, e Exu, de trem. Enquanto aguardava a chegada do navio que o levaria ao Recife, resolve conhecer o Mangue, o bairro boêmio vizinho. E lá, com sua sanfona Honner branca, faz sucesso tocando valsas, tangos, choros, foxtrotes e outros ritmos da época. Através de um músico amigo, o baiano Xavier Pinheiro, casado com uma portuguesa, Gonzaga vai morar no morro de São Carlos, à época tranqüilo reduto português no Rio.

1940
Luiz Gonzaga modifica o seu repertório, pressionado por estudantes cearenses, e consegue tirar nota máxima no programa Calouros em desfile, de Ary Barroso, na Rádio Tupi, executando a música Vira e Mexe, um “xamego” (chorinho) lá do seu pé-de-serra. Pouco tempo depois vai trabalhar com Zé do Norte no programa A hora sertaneja, na Rádio Transmissora. Chega ao Rio seu irmão José Januário Gonzaga, fugindo da seca devastadora e trazendo um pedido de ajuda por parte de Santana. Zé Gonzaga passa a morar com o irmão.

1941
5 de março. Data da primeira participação de Luiz Gonzaga numa gravação da Victor, atuando como sanfoneiro da dupla Genésio Arruda e Januário França, na “cena cômica” A viagem de Genésio. Seu talento chama a atenção de Ernesto Augusto Matos, chefe do setor de vendas da Victor. E no dia 14 de março Luiz Gonzaga grava, assinando pela primeira vez como artista principal, e exclusivo da Victor, quatro músicas que são lançadas em dois 78 rotações. É publicada a primeira reportagem sobre Luiz Gonzaga na revista carioca Vitrine, com o título Luiz Gonzaga, o virtuoso do acordeom. Ainda em 41, Gonzaga grava mais dois 78 rotações. O sucesso havia chegado, e Gonzaga já era chamado como “o maior sanfoneiro do nordeste, e até do Brasil”.

1944
O apelido “Lua”, invenção de Dino 7 Cordas pelo rosto arredondado de Gonzaga, é divulgado pelo radialista Paulo Gracindo na Rádio Nacional.

1945
11 de abril. Luiz Gonzaga grava o 25º disco de sua carreira como sanfoneiro, e o primeiro como cantor, com as músicas Dança Mariquinha, mazurca de sua autoria com letra de Miguel Lima, e Impertinente, polca também de sua autoria, instrumental. Mas a afirmação como intérprete só chega com o 31º disco, lançado em novembro, pelo sucesso estrondoso da mazurca Cortando o pano, uma parceria com Miguel Lima e Jeová Portella. Em 22 de setembro nasce Luiz Gonzaga do Nascimento Júnior, Gonzaguinha, fruto de um relacionamento com a cantora Odaléia Guedes. Desejoso de encontrar o parceiro certo para expressar sua musicalidade sertaneja, Luiz Gonzaga procura o cearense Lauro Maia. Este apresenta-lhe o cunhado, também cearense, advogado e poeta, Humberto Teixeira. Era o mês de agosto. Esse primeiro encontro rendeu a primeira parceria, No meu pé de serra, xote que só seria gravado em novembro do ano seguinte.

1946
No mês de outubro o conjunto Quatro Ases e um Coringa, da Odeon, acompanhado pela sanfona de Luiz Gonzaga, grava a segunda parceria de Gonzaga e Humberto Teixeira, a música Baião, sucesso em todo país. Depois de receber a visita de Santana, Gonzaga volta à sua terra, Exu, após 16 anos ausente. No retorno para o Rio, passa pela primeira vez no Recife, participando de vários programas de rádio e muitas festas. Nesse momento conhece Sivuca, Nelson Ferreira, Capiba e Zédantas, estudante de medicina, músico por vocação, apaixonado pela cultura nordestina.

1947
Luiz Gonzaga grava em março o 78 rpm que se tornaria um clássico da música brasileira: a toada Asa Branca, sua terceira parceria com Humberto Teixeira, inspirado no repertório de tradição oral nordestino. A partir desse ano, Luiz Gonzaga adota o chapéu de couro semelhante ao usado por Lampião, a quem tinha verdadeira admiração, à sua apresentação artística, – embora a Rádio Nacional ainda não o permitisse apresentar-se ‘como cangaceiro’ nos seus programas – assumindo, ao mesmo tempo em que também plasmava, a identidade nordestina no cenário nacional. Num domingo de julho, Gonzaga conhece na Rádio Nacional, a contadora Helena das Neves Cavalcanti, e a contrata para ser sua secretária. Rapidamente o namoro acontece, e Gonzaga pensa em casar.

1948
No dia 16 de junho Luiz Gonzaga e Helena casam-se no Rio de Janeiro, e passam a morar, juntamente com a mãe de Helena, dona Marieta, no bairro de Cachambi.

1949
Aproveitando uma folga entre as gravações, Luiz Gonzaga leva a esposa e sogra para conhecerem o Araripe, e sua terra Exu. Porém, interrompem a viagem quando estavam no Crato, por causa das desavenças e mortes entre os Sampaio e os Alencar. A grande violência que marcava a disputa entre os clãs rivais ameaçava sua família, ligada aos Alencar. Preocupado, Gonzaga aluga uma casa no Crato, para onde leva seus pais e irmãos, enquanto preparava a mudança de sua família para o Rio de Janeiro, o que ocorreu ainda em 49.

1950
Em janeiro, o médico formando Zédantas chega ao Rio, a fim de prestar residência no Hospital dos Servidores, para alegria de Gonzaga, que vai esperá -lo na plataforma da estação de trem. Nesse ano, Luiz Gonzaga lançou, gravando ou cedendo para outros intérpretes, mais de vinte músicas inéditas, a maioria parcerias com Humberto Teixeira e Zédantas que se tornariam clássicos da MPB. Em junho lança a música A dança da moda, parceria com Zédantas que retratava a febre nacional pelo baião.

1951
Luiz Gonzaga já era o consagrado ‘Rei do Baião’, e o advogado Humberto Teixeira o ‘Doutor do Baião’! Em maio Luiz Gonzaga sofre um grave acidente de carro, junto com seus músicos: João André Gomes, apelidado Catamilho, do zabumba, e Zequinha, do triângulo. Humberto Teixeira candidata-se a Deputado Federal, e recebe o apoio do parceiro. Durante todo o ano de 51 Gonzaga foi convidado permanente da série No Mundo do Baião, produzido por Zédantas, parte das atrações do Departamento de Música Brasileira da Rádio Nacional, cuja direção era de Humberto Teixeira. Gonzaga havia aproximado os dois parceiros, mas essa convivência era difícil e durou pouco tempo. Foi No Mundo do Baião que Luiz Gonzaga coroou, com chapéu de couro, Carmélia Alves como Rainha do Baião. Ela interpretava o baião com acompanhamento de orquestra, e levava a música do Rei para as boates e ambientes da elite. Luiz Gonzaga e Helena adotam uma menina: Rosa Maria.

1952
Outubro de 1952, data do 71º disco da carreira de Gonzaga, o último 78 rpm com Humberto Teixeira, músicas já lançadas em anos anteriores. Hervê Cordovil é apresentado à Gonzaga por Carmélia Alves, e tornam-se parceiros.

1953
Catamilho é afastado por Gonzaga do seu conjunto, e Zequinha o acompanha. Gonzaga contrata Jurai Nunes, o Cacau, para tocar zabumba, e Oswaldo Nunes Pereira, o Xaxado para o triângulo. Mais tarde, por causa de sua baixa estatura, Xaxado seria apelidado de Salário Mínimo.

1954
Luiz Gonzaga conhece Neném, mais tarde Dominguinhos, aos 14 anos, na cidade de Garanhuns. Nesse mesmo ano seu primo, o vaqueiro Raimundo Jacó, é assassinado na região do Araripe.

1955
1955 Luiz Gonzaga apresenta o trio formado por Marinês, Abdias e Chiquinho, que ficou conhecido como Patrulha de Choque Luiz Gonzaga.

1956
Marinês é coroada Rainha do Xaxado na Rádio Mayrink Veiga. A cantora japonesa Keiko Ikuta grava as músicas Baião de Dois e Paraíba.

1960
11 de junho: morre Santana, vitimada pela doença de Chagas, no Rio de Janeiro. 05 de novembro: Januário, aos 71 anos, casa-se com Maria Raimunda de Jesus, 32 anos, no Exu. Gonzaga participa, gratuitamente, da campanha de Jânio Quadros à Presidência da República.

1961
Gonzaguinha vai morar com o pai em Cocotá, Rio de Janeiro. Luiz Gonzaga torna-se maçom, e sofre outro acidente de carro que lhe desfigura o lado direito do rosto, ferindo gravemente o seu olho.

1962
11 de março: morre Zédantas, aos 41 anos. Luiz Gonzaga conhece João Silva.

1963
Luiz Gonzaga teve sua sanfona Universal, preta, roubada. Antenógenes Silva, seu amigo e afinador, lhe empresta uma sanfona branca. A partir de então, adota a cor branca para suas sanfonas, e a inscrição “É do povo” em todos os seus instrumentos. Luiz Gonzaga conhece o poeta cearense Patativa do Assaré.

1964
Gonzaga compra terrenos em Exu, onde irá construir o Parque Aza Branca.

1968
Carlos Imperial, apresentador de programas de rádio e televisão, espalha o boato de que The Beatles gravara a toada Asa Branca. Luiz Gonzaga conhece Edelzuíta Rabelo, advogada, numa festa junina em Caruaru.

1971
A Missa do Vaqueiro é celebrada pela primeira vez, em memória de Raimundo Jacó. Desde então passa a ser anualmente celebrada, tornando-se evento tradicional em Pernambuco.

1972
Gonzaga apresenta o espetáculo Luiz Gonzaga volta para curtir, no Teatro Tereza Rachel, no Rio, produzido por Capinam, para uma platéia formada maciçamente por estudantes. Nesse ano, rompe o contrato de 32 anos com a RCA.

1973
Gonzaga é levado para a EMI-Odeon por Fernando Lobo, onde permanece por dois anos. Recebe o título de Cidadão Paulista, e inicia a reforma dos imóveis que havia comprado na entrada da cidade de Exu.

1975
Luiz Gonzaga reencontra Edelzuíta, o grande amor da fase final de sua vida.

1976
Luiz Gonzaga assina novamente contrato com a RCA Victor.

1978
11 de junho: morre o Mestre Januário.

1979
No mês de outubro morre Humberto Teixeira.

1980
Luiz Gonzaga canta para o Papa João Paulo II na capital cearense. Inicia, em parceria com Gonzaguinha, a turnê do show Vida do Viajante, que percorre várias cidades brasileiras, estendendo-se até o ano seguinte, quando é lançado o álbum duplo da gravação do show, ao vivo.

1982
Luiz Gonzaga viaja para Paris, onde se apresenta na casa de espetáculos Bobino, na noite de 16 de maio, a convite da cantora amazonense Nazaré Pereira. A partir desse ano, Luiz Gonzaga passa a assinar como Gonzagão quase todos os seus disco, forma como havia sido chamado por ocasião de sua turnê com Gonzaguinha.

1984
Gonzaga recebe o primeiro disco de Ouro com o LP Danado de Bom, no qual tinha João Silva por principal parceiro, e que receberia um segundo Disco de Ouro em seguida. João Silva seria seu grande parceiro, a partir de então. Morre Jackson do Pandeiro. Gonzaga recebe o Prêmio Shell.

1985
Gonzaga recebe o prêmio Nipper de Ouro, homenagem internacional da RCA a um artista de seu quadro. Luiz Gonzaga recebe dois discos de ouro para o LP Sanfoneiro Macho.

1986
Luiz Gonzaga participa do festival de música brasileira na França, Couleurs Brésil, evento que inaugura o programa dos anos Brasil-França 86-88. O Rei do Baião apresentou-se na Grande Halle de La Villette no show de encerramento, junto com outros artistas brasileiros, para um público aproximado de 15 mil pessoas. O LP Forró de Cabo a Rabo, deu a Luiz Gonzaga dois discos de ouro e um de platina.

1988
Em junho pede o desquite, separa-se de Helena, e assume o relacionamento com Edelzuíta Rabelo. Neste ano também desliga-se definitivamente da RCA.

1989
Luiz Gonzaga grava pela Copacabana Records seus últimos discos. 21 de junho: é internado no Hospital Santa Joana, no Recife. 02 de agosto: morre Luiz Gonzaga, aos 76 anos de idade.

Fonte: Memorial Luiz Gonzaga

ACESSE MEMORIAL LUIZ GONZAGA CLICANDO AQUI.

Luto » Corpo de Niemeyer será velado hoje no Palácio do Planalto, diz prefeito do Rio

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, confirmou que o corpo de Oscar Niemeyer vai para Brasília, onde será velado hoje (6), no Palácio do Planalto. Paes esteve no Hospital Samaritano, em Botafogo, prestando os pêsames à família do arquiteto.

Segundo o prefeito, após o velório na capital federal, o corpo de Niemeyer retornará ao Rio de Janeiro e será velado no Palácio da Cidade, sede da prefeitura, em Botafogo, que ficará aberta à visitação pública.

O enterro, de acordo com Paes, ocorrerá na sexta-feira (7) à tarde, no Rio de Janeiro.

Oscar Niemeyer-Obras de um grande mestre

Esta é uma lista de obras do arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer. As datas apresentadas são de conclusão da obra.

Década de 1930

Imagem Nome Cidade Localização Inauguração Status
1 Clube Esportivo Rio de Janeiro Brasil 1935 Projetado
2 Residência no Rio de Janeiro Rio de Janeiro Brasil 1935 Projetado
3 MESP4.jpg Ministério da Educação e Saúde Rio de Janeiro Brasil 1936 Concluído
4 Residência de Henrique Xavier Rio de Janeiro Brasil 1936 Projetado
5 Maternidade Rio de Janeiro Brasil 1937 Projetado
6 Obra do Berço Rio de Janeiro Brasil 1937 Concluído
7 Grande Hotel de Ouro Preto Ouro Preto Brasil 1938 Concluído
8 Residência de Oswald de Andrade Rio de Janeiro Brasil 1938 Projetado
9 Pavilhão Brasileiro na Feira Mundial de Nova Iorque Nova Iorque  Estados Unidos 1939 Concluído
10 Residência de Maria Passos Miguel Pereira Brasil 1939 Projetado

Década de 1940

Imagem Nome Cidade Localização Inauguração Status
1 Residência de Pedro Aleixo Belo Horizonte Brasil 1940 Concluído
2 Centro Atlético Nacional Rio de Janeiro Brasil 1941 Projetado
3 Residência de Francisco Peixoto Cataguases Brasil 1941 Concluído
4 Teatro Municipal de Belo Horizonte Belo Horizonte Brasil 1941 Projetado
5 Torre de Água Ribeirão das Lajes Brasil 1941 Projetado
6 Residência de Oscar Niemeyer na Lagoa Rodrigo de Freitas Rio de Janeiro Brasil 1942 Concluído
7 Residência de Herbert Johnson Fortaleza Brasil 1942 Concluído
8 Conjunto Arquitetônico da Pampulha Belo Horizonte Brasil 1940 Concluído
9 Hotel da Pampulha Belo Horizonte Brasil 1940 Projetado
11 Cassino da Pampulha Belo Horizonte Brasil 1940 Concluído
12 Casa do Baile Belo Horizonte Brasil 1940 Concluído
13 IgrejaPampulha.jpg Igreja da Pampulha Belo Horizonte Brasil 1940 Concluído
14 Residência de Charles Ofair Rio de Janeiro Brasil 1943 Projetado
15 Residência de Juscelino Kubitschek Belo Horizonte Brasil 1943 Concluído
16 Residência de Prudente de Moraes Neto Rio de Janeiro Brasil 1943 Concluído
17 Centro de Lazer da Lagoa Rodrigo de Freitas Rio de Janeiro Brasil 1944 Projetado
18 Hotel Nova Friburgo Brasil 1945 Projetado
19 Iate Clube Fluminense Rio de Janeiro Brasil 1945 Projetado
20 Sede da Tribuna Popular Rio de Janeiro Brasil 1945 Projetado
21 Sede do Banco Boavista Rio de Janeiro Brasil 1946 Concluído
22 Colégio Cataguases Cataguases Brasil 1946 Concluído
23 Centro Técnico da Aeronáutica São José dos Campos Brasil 1947 Concluído
24 UNO New York.JPG Sede da ONU Nova Iorque  Estados Unidos 1947 Concluído
25 Residência Burton Tremaine Santa Bárbara  Estados Unidos 1947 Projetado
26 Residência de Gustavo Capanema Rio de Janeiro Brasil 1946 Projetado
27 Auditório do Ministério da Educação e Saúde Rio de Janeiro Brasil 1948 Projetado
28 Sede das Empresas Garficas O Cruzeiro Rio de Janeiro Brasil 1949 Concluído
29 Hotel Regente Rio de Janeiro Brasil 1949 Projetado
30 Monumento a Rui Barbosa Rio de Janeiro Brasil 1949 Concluído
31 Residência do Arquiteto Mendes Brasil 1948 Concluído
32 Residência Rio de Janeiro Brasil 1949 Projetado
33 Colégio Cataguases Cataguases Brasil 1949 Projetado

Década de 1950

Posição Nome Cidade Localização Inauguração Status
1 Clube dos 500 Guaratinguetá Brasil 1950 Concluído
2 Clube em Diamantina Diamantina Brasil 1950 Concluído
3 Edifício Montreal São Paulo Brasil 1950 Concluído
4 Fábrica Duchen São Paulo Brasil 1950 Concluído
5 Hotel Quitandinha – Projeto 1 Petrópolis Brasil 1950 Projetado
6 Edifício Copan São Paulo Brasil 1951 Concluído
7 Auditório Ibirapuera (Conjunto do Ibirapuera) São Paulo Brasil 1951 Concluído
8 Marquise do Ibirapuera (Conjunto do Ibirapuera) São Paulo Brasil 1951 Concluído
9 Palácio da Agricultura (Conjunto do Ibirapuera) São Paulo Brasil 1951 Concluído
10 Palácio das Exposições (Conjunto do Ibirapuera) São Paulo Brasil 1951 Concluído
11 Palácio das Indústrias (Ibirapuera) (Conjunto do Ibirapuera) São Paulo Brasil 1951 Concluído
12 Palácio dos Estados (Conjunto do Ibirapuera) São Paulo Brasil 1951 Concluído
13 Parque do Ibirapuera (Conjunto do Ibirapuera) São Paulo Brasil 1951 Concluído
14 Conjunto Juscelino Kubitschek Belo Horizonte Brasil 1951 Concluído
15 Hotel Tijuco Diamantina Brasil 1951 Concluído
16 Hospital da Lagoa Rio de Janeiro Brasil 1952 Concluído
17 Casa das Canoas Rio de Janeiro Brasil 1953 Concluído
18 Escola Estadual Professora Júlia Kubitschek Diamantina Brasil 1954 Concluído
19 Casa Edmundo Cavanelas Petrópolis Brasil 1954 Concluído
20 Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa Belo Horizonte Brasil 1954 Concluído
21 Edifício Triângulo São Paulo Brasil 1955 Concluído
22 Edifício Niemeyer Belo Horizonte Brasil 1955 Concluído
23 Edifício e galeria Califórnia São Paulo Brasil 1955 Concluído
24 Edifício Eiffel Rio de Janeiro Brasil 1956 Concluído
25 Igrejinha Nossa Senhora de Fátima Brasília Brasil 1958 Concluído
26 Escola Estadual Maria Constança de Barros Machado Campo Grande Brasil 1959 Concluído

Década de 1960

Posição Nome Cidade Localização Inauguração Status
1 Edifício Itatiaia Campinas Brasil 1960 Concluído
2 Cine Brasília Brasília Brasil 1960 Concluído
3 Palácio do Itamaraty Brasília Brasil 1962 Concluído
4 Sede do Partido Comunista Francês Paris  França 1964 Concluído
5 Edifício Manchete Rio de Janeiro Brasil 1965 Concluído
6 Teatro Nacional Cláudio Santoro Brasília Brasil 1966 Concluído
7 Editora Mondadori Milão  Itália 1968 Concluído
8 Mesquita de Argel Argel  Argélia 1968 Projetado

Década de 1970

Posição Nome Cidade Localização Inauguração Status
1 Universidade Mentouri de Constantine Constantine  Argélia 1971 Concluído
2 Universidade de Ciência e Tecnologia Houari-Boumediene Argel  Argélia 1974 Concluído
3 Escola Politécnica de Arquitetura e Urbanismo Argel  Argélia 1975 Concluído
4 la Sala Omnisport La “cúpula” Argel  Argélia 1975 Concluído
5 Pestana Casino Park Funchal  Portugal 1976 Concluído
6 Bolsa de Trabalho de Bobigny Bobigny  França 1978 Concluído

Década de 1980

Posição Nome Cidade Localização Inauguração Status
1 Coreto Caratinga Brasil 1980 Concluído
2 Memorial JK Brasília Brasil 1981 Concluído
3 Centro Cultural Le Havre Le Havre  França 1982 Concluído
4 TV Manchete Fortaleza Fortaleza Brasil 1984 Concluído
5 Sambódromo da Marquês de Sapucaí Rio de Janeiro Brasil 1984 Concluído
6 Memorial da Cabanagem Belém do Pará Brasil 1985 Concluído
7 Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves Brasília Brasil 1986 Concluído
8 Memorial dos Povos Indígenas Brasília Brasil 1987 Concluído
9 Casa do Cantador Brasília Brasil 1988 Concluído
10 Terminal Rodoviário de Londrina Londrina Brasil 1988 Concluído
11 Memorial da América Latina São Paulo Brasil 1989 Concluído
12 Memorial Nove de Novembro Volta Redonda Brasil 1989 Concluído
13 Sede do Jornal l’Humanité Seine-Saint-Denis  França 1989 Concluído

Década de 1990

Posição Nome Cidade Localização Inauguração Status
1 Sambódromo do Anhembi São Paulo Brasil 1991 Concluído
2 Museu de Arte Contemporânea de Niterói Niterói Brasil 1996 Concluído

Década de 2000

Posição Nome Cidade Localização Inauguração Status
1 Módulo Educação Integrada Rio de Janeiro Brasil 2000 Projetado
1 Memorial 500 Anos do Brasil São Vicente Brasil 2000 Concluído
2 Centro Administrativo Goiânia Brasil 2000 Concluído
3 Memorial Cassiano Ricardo São José dos Campos Brasil 2000 Projetado
4 Sede da União Nacional dos Estudantes Rio de Janeiro Brasil 2000 Projetado
5 Auditório Revello  Itália 2000 Projetado
6 Jardim Botânico Petrópolis Brasil 2000 Projetado
7 Igreja Universal do Reino de Deus Niterói Brasil 2000 Projetado
8 Sede da Ordem dos Advogados do Brasil Brasília Brasil 2008 Concluído
9 Residência em Oslo Oslo  Noruega 2001 Projetado
10 Auditório e Salão de Exposições da Universidade Candido Mendes Rio de Janeiro Brasil 2001 Projetado
11 Acqua City Palace Moscou  Rússia 2001 Projetado
12 Anexo do Copacabana Palace Rio de Janeiro Brasil 2001 Projetado
13 Sede da Centro de Memória do Doi-codi São Paulo Brasil 2001 Projetado
14 Centro do Cinema Brasileiro (Caminho Niemeyer) Niterói Brasil 2001 Concluído
15 Museu Oscar Niemeyer Curitiba Brasil 2001 Concluído
16 Hospital Veterinário da Universidade Estadual do Norte Fluminense Campos dos Goytacazes Brasil 2001 Concluído
17 Capela Ecumênica Darcy Ribeiro Montes Claros Brasil 2001 Projetado
18 Biblioteca Comunitária Rio de Janeiro Brasil 2001 Concluído
19 Centro Cultural e Esportivo da Escola de Samba Unidos De Vila Isabel Rio de Janeiro Brasil 2002 Projetado
20 Centro Comunitário do Mac Niterói Brasil 2002 Projetado
21 Centro Cultural de Duque de Caxias Duque de Caxias Brasil 2002 Concluído
22 Praça Juscelino Kubitcheck (Caminho Niemeyer) Niterói Brasil 2002 Concluído
23 Memorial Oswaldo Aranha Alegrete Brasil 2002 Projetado
24 Memorial Coelho Neto Coelho Neto Brasil 2002 Projetado
25 Memorial Portinari Brodowski Brasil 2002 Projetado
26 Parque do Talento Empreendedor Brasília Brasil 2002 Projetado
27 Centro de Convenções de Ribeirão Preto Ribeirão Preto Brasil 2002 Projetado
28 Faculdade de Direito São Bernardo do Campo Brasil 2002 Projetado
29 Sede da Procuradoria Geral da República Brasília Brasil 2002 Concluído
30 Residência Amilcare D’allevo Junior São Paulo Brasil 2002 Projetado
31 Pavilhão da Serpentine Gallery Londres Inglaterra 2003 Concluído
32 Centro Cultural Oscar Niemeyer Goiânia Brasil 2006 Concluído
33 Biblioteca Comunitária Tobias Barreto de Meneses Rio de Janeiro Brasil 2006 Concluído
34 Complexo Cultural da República Brasília Brasil 2006 Concluído
35 Caracol de Buritis Buritis Brasil 2008 Concluído
36 Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte Natal Brasil 2008 Concluído
37 Estação Cabo Branco João Pessoa Brasil 2008 Concluído
38 Câmara Municipal de Poços de Caldas Poços de Caldas Brasil 2009 Projetado
39 Cidade Administrativa de Minas Gerais Belo Horizonte Brasil 2010 Concluído
40 Parque Dona Lindu Recife Brasil 2010 Con